top of page
  • Foto do escritorAvance Fisioterapia

O medo pode atrapalhar a recuperação de dores e lesões

Atualizado: 21 de ago. de 2022


Este post é direcionado a colegas profissionais da saúde e também para pessoas que estão passando por um momento doloroso (dor em músculos, tendões, ligamentos, nervos, coluna, articulações).


O medo pode atrapalhar muito uma reabilitação de dores e lesões ortopédicas. É muito comum que ela seja criada e perpetuada em conteúdos na internet e por profissionais de saúde



Percebemos na clínica, a cada ano, que o perfil e a “mente” do paciente comanda muito como será a própria recuperação. Claro que a questão física importa (a localização da dor, como e quando começou, grau de severidade, diagnóstico, etc e etc), porém notamos que a maneira com que cada um interpreta e encara o problema é determinante sobre qual o caminho da recuperação será seguido: se será longo e tortuoso ou se será mais simples e até mais rápido


Percebemos 02 problemas quando o assunto é reabilitar dores e lesões:

  1. Profissionais de saúde que investigam pouco/rasamente o problema dos pacientes, despejam diagnósticos precoces ou até equivocados, exageram e reforçam muito achados nos exames de imagem (muitas vezes desnecessários e achados no exame que poderiam estar presentes em pessoas assintomáticas). Para completar este “combo”, no momento do parecer e prognóstico reforçam frases que mais enaltecem problemas do que soluções, frases que mais desmotivam e proibem movimentos, atividades de lazer e esportivas. O resultado disso tudo é um paciente com MEDO , perdido, inseguro, desmotivado, que sai acreditam que tem um problema muito maior do que realmente é. É bem provável que este paciente ficaria melhor, com menos dor, voltaria a trabalhar e se exercitar se se não passasse por uma situação assim

  2. Dores, crises ao longo de semanas/meses, que começam a incapacitar a vida (rotina em casa, trabalho, lazer, esporte, atividade sexual). A pessoa logo inicia uma saga por busca da solução que normalmente é a seguinte: - Tomar remédios (aliviam, mascaram e voltam a dor). - Começa a achar que foi devido a algo que ela fez de errado, um movimento, uma má postura etc. Pacientes deixam se movimentar (atitude passiva), o que descondiciona o corpo e aumenta mais o medo. - Consulta com um profissional que atende em 15 minutos (acontece a situação acima). Logo, sai da consulta o problema amplificado pela comunicação desmotivadora, remédios mais fortes que não tratam a causa, procedimentos invasivos (infiltrações/bloqueios) ou até mesmo cirurgia. - As informações na internet Google costumam confundir muito sobre o melhor a se fazer. Informações aleatórias e sem evidências científicas fazem as pessoas atirarem para todo lado. Parentes e amigos começam a dar “pitaco” falando que já fizeram isso e aquilo. Quanto mais tentativas de tratamento sem sucesso (isso inclui modalidades da Fisioterapia) potencializa o MEDO e a desesperança (aqui surge a famosa frase “já tentei de tudo!”) - Neste momento, após semanas/meses de dor e incapacidade, a vida da pessoa fica alterada, o lado emocional/psicológico não é mais o mesmo. Muitas não se enxergam mais como uma pessoa saudável e sim doente, tem agora um “rótulo diagnóstico” de crônico e incapacitado). Este se torna uma grande pedra no caminho para a recuperação completa e retorno à vida normal

________________________________________________________________________


Você que está passando por dores se identificou com as situações acima ?

Veja o que recomendamos às pessoas que nos conhecem e buscar soluções para dores e lesões:

- Quanto mais rápido buscar ajuda para solucionar melhor

- Não necessariamente fazer muitas consultas com muitos profissional, fazer exames de imagem e tentar diversas formas de tratamento é a melhor opção

- Fuja de profissionais que te jogam para baixo. Valorizem profissionais que investigam bem o seu caso, que realizam um bom exame físico (examinar seus movimentos), que se interessam e dedicam tempo para te escutar, para explicar o seu problema e as melhores soluções possíveis. Valorize aquele que simplifica a solução e te ensina a seu cuidar ativamente (isto é, por meio de posturas, movimentos e mudança de hábitos/comportamentos)

PALAVRAS TEM PODER ! Se você está escutando que seu problema não tem solução, se você sai de uma consulta com mais dúvidas e desmotivação, entenda que este profissional não é para você.


A todos os colegas Fisioterapeutas, Médicos, Profissionais de Educação Física, Enfermeiros, Psicólogos: Sem perceber podemos alimentar o MEDO na mente dos pacientes. O medo por atrapalhar muito a recuperação de dores e lesões ortopédicas/musculoesqueléticas. Medo e dor caminham juntos !

A jornada deles em busca da solução pode ser muito mais árdua e penosa a depender das palavras e posicionamento dos profissionais que o acompanham.


Notem na imagem acima que a direção da perpetuação/cronificação da dor ou da total recuperação passa por entender o contexto e objetivos do paciente; a interpretação que ele tem sobre a dor e o que é ameaçador para ele; passa por individualizar a recuperação e saber como pessoa encara o problema. E aqui não estamos falando sobre a intervenção A, B, C (exercício, método, remédio, bloqueio, infiltração). Estamos falando sobre a forma como podemos influenciar seus pensamentos, comportamentos e melhores tomadas de decisão.

Como Fisioterapeuta posso afirmar que é muito mais FÁCIL e RÁPIDO recuperar pacientes que recebem uma boa explicação e condução prévia, já vindo educados e motivados. Por outro lado, afirmo como é DIFÍCIL (e às vezes ineficaz fazer o tratamento fisioterapêutico adequado) quando o paciente vem cheio de crenças negativas e barreiras à recuperação criadas por profissionais que já passou ou informações distorcidas acumuladas nas redes sociais

Tenho comigo como profissional da saúde que "se não posso ajudar com o meu trabalho, com as ferramentas que tenho em mãos e meu conhecimento atual, espero ser honesto e humilde em dizer isto ao paciente", evitando as “tentativas e erros”, excesso de tratamentos ou exames. Com 1, 2, 3 consultas conseguimos saber disto (se vamos ajudar ou não). Também entendo que é importantíssimo encaminhar a outro tipo de profissional pode ser o mais adequado para resolver definitivamente o problema do paciente - encaminhar adequadamente e reforçar isso ao paciente é um sinal de grandeza

Desejo que profissionais da saúde facilitem a melhora dos pacientes (desligando os medos, incentivando, mostrando as melhores e mais simples soluções). Isto passa pelas palavras que escolhemos e nossa postura profissional. Passa por tratar cada pessoa exatamente ou melhor como gostaríamos de ser tratados

Esta é a mensagem que desejamos deixar a pessoas com dores ou lesões e colegas da área de saúde. Se desejar deixe o seu comentário sobre esta postagem e compartilhe com alguém que precisa muito saber disto.

Texto escrito pelo Fisioterapeuta André de Melo Andrade





17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page